Skip to main content

10 dicas para quem quer abrir franquias no Brasil

Muita gente sonha em ter o próprio negócio e há vários caminhos para conseguir montar uma empresa. Um deles e que vem crescendo cada vez mais, é a opção de abrir franquias no Brasil.

O setor de franquias brasileiro é um dos segmentos que mais cresce e mesmo em período de crise, possuir uma franquia é uma opção muito procurada por quem perdeu o emprego e resolveu investir no próprio negócio, por exemplo.

Ao abrir uma franquia, o empreendedor sente mais segurança do que começar um novo negócio sozinho. Em uma franquia você estabelece uma relação com um negócio de sucesso para que possa usar seus sistemas e capitalizar sobre uma marca já existente, para obter o retorno sobre seu investimento em determinado período de tempo (que varia de acordo com a franquia que irá abrir). Você está usando o sistema e o nome patenteados da empresa e administrando o negócio sob as regras da mesma.

Este é o sonho de muitos empreendedores brasileiros que optam por um negócio que já tem uma marca consagrada, onde os riscos inerentes são menores, pois já se compra o conhecimento administrativo prévio. Mas, muitos se enganam que abrir uma franquia é garantia de sucesso. De acordo com o consultor Wagner D´Almeida, da Global Franchise Consulting, é preciso muita dedicação e empenho para não correr o risco de perder, muitas vezes, as economias de toda uma vida de trabalho.

Mas, antes de abrir franquias no Brasil…

O consultor afirma que, de acordo com sua experiência, muitos candidatos a franqueados carregam ‘mitos’: “Alguns acham que todas as franquias são iguais e quem ao abrir uma unidade de determinada marca, certamente ficarão ricos”, adverte. “Acreditam que basta abrir a porta da loja que haverá sempre uma fila de clientes na porta”.

É preciso se dedicar ao máximo ao novo negócio, pois mesmo com todas as informações prévias e disseminadas, não há uma fórmula mágica que fará com que a empresa dê certo. Quando a decisão por abrir uma franquia vem após a perda de um emprego onde o empreendedor não possui experiência prévia em negócios, o cuidado deve ser ainda maior e acompanhado de estudos e preparação.

As unidades franqueadas vêm crescendo ano a ano, devido à sua expansão através de um sistema de operação já testado. Paralelamente, porém, aumentam os problemas oriundos da má gestão de alguns franqueadores. D´Almeida ainda ressalta a importância de investir certo para não correr riscos financeiros e nem frustrar-se nos aspectos pessoal e profissional e a reflexão é o primeiro passo para que tudo dê certo.

Abaixo ele compartilha dez importantes dicas para quem tem a intenção de abrir franquias no Brasil:

  1. Identificar-se com o tipo de negócio – para o consultor, não adianta abrir uma franquia cujos produtos ou serviços não agradam ao futuro franqueado. Não basta uma marca renomada para que tudo dê certo, mas sim, gostar do negócio e ter prazer em fazer parte dele. Nada como a motivação pessoal para chegar ao sucesso.
  2. Investir até 70% do seu capital disponível – é prudente reservar 30% do seu investimento para cobrir despesas pessoais. Lembre-se de que, no primeiro ano, é bem provável que sua unidade franqueada não renda o que você necessita para manter seu padrão de vida. E a queda no poder aquisitivo pode gerar, até, conflitos familiares.
  3. Checar as franquias existentes no tipo de negócio que você se identifica – procure informar-se quais as marcas disponíveis no mercado; há quanto tempo elas existem; quantos franqueados possuem e se há locais disponíveis para abrir unidades.
  4. Conversar com o Franqueador e saber qual a proposta da franquia e os diferenciais em relação às concorrentes – qual é a visão do franqueador da marca que você escolheu investir? Aonde ele pretende chegar? O que ele tem de especial que justifique seu investimento? Antes de entrar para a rede, procure conhecer bem quem ela é. É como um namoro: não case sem conhecer o pretendente.
  5. Ler atentamente a Circular de Oferta de Franquia – trata-se de um documento importante e indispensável que deve reunir todas as informações relativas ao negócio. É uma exigência da lei que rege o sistema de franchising brasileiro.
  6. Submeter o Contrato de Franquia à apreciação de um advogado – vale a pena consultar um especialista antes de assinar o contrato. No entanto, eleja um profissional que conheça bem o sistema e a lei que o regula.
  7. Conversar com os franqueados e checar os resultados que cada um está obtendo e o nível de satisfação com o franqueador – quem está na rede pode auxiliá-lo a amadurecer a escolha por determinada rede. Nada como a experiência. Procure saber, principalmente, como o franqueador lida com a rede no dia-a-dia e se ele realmente trabalha pela marca.
  8. Conversar com ex-franqueados – procure informar-se sobre a rede com quem já fez parte dela. É um contraponto que pode ser decisivo na sua seleção.
  9. Solicitar do franqueador uma avaliação do ponto comercial – a escolha de um bom ponto comercial é decisivo para o sucesso de um negócio. E nada melhor que a orientação do franqueador, que tem a experiência necessária para apontar o que pode ou não funcionar. Comercialmente, ele também pode ter maior poder de barganha.
  10. Fazer um “test-drive”- verifique com a franqueadora se é possível acompanhar, durante um período, o dia a dia de uma unidade franqueada ou própria. Sinta como é a operação a fim de tornar sua escolha ainda mais consciente.

A realização do sonho de ter um negócio próprio pode incluir alguns riscos, mas está em nossas mãos trabalhar preventivamente para que ele não se transforme em um pesadelo, mas sim em um negócio de sucesso. O seu investimento é resultado de suas conquistas, então faça valer à pena!

Mariana Veiga

Empreendedora, apaixonada por marketing e tecnologia, foi fundadora da primeira agência de mídias sociais de Minas Gerais e já ajudou clientes de todos os portes a alcançarem resultados com a Internet. Hoje tem como missão ajudar empreendedores a terem negócios enxutos através da empresa Sucesso Lab.